Horário de informação e pedido: Seg -Qui: 09:30 to 17:30 & Sex: 08:30-15:00 35 1 3004 04 469 portugal.natural




Email:





VÍDEOS DEMONSTRATIVOS E ANIMAÇÕES 3D

RECOMENDADOS POR MÉDICOS
A OPNIÃO DOS ESPECIALISTAS
DEPOIMENTOS ESCRITOS/AUDIO
ATENÇÃO AO CLIENTE
QUERO SER MEMBRO
PROGRAMA AFILIADOS

Estudo sobre o tratamento da ejaculação precoce com exercícios regulados

A ejaculação precoce é uma das disfunções mais frequentes ou talvez a mais frequente em nosso meio, pois se estima que mais de 40% dos homens menores de 50 anos sofrem com este problema, segundo estatísticas dos mais destacados sexólogos do mundo. Este trastorno sexual consiste na dificuldade que tem os homens para controlar a ejaculação durante o transcurso do acto sexual.

Até os anos 60 o homem não se preocupava com o seu controle ejaculatório, ou fora por desconhecimento da resposta sexual normal ou porque tampouco o casal o solicitava. Em aqueles tempos, a sexualidade era conhecida praticamente só para os fins reprodutivos, e para as mulheres era algo com o que deviam cumprir no matrimônio.

Há homens que apresentam EP com algumas mulheres e com outras não. Este dado nos revela a importante função que desempenha o fator psicológico - em muitos casos - nesta disfunção.

Geralmente, se crê que tendo muita atividade sexual se solucionará o problema da EP, mas sucede o contrário, com o passar do tempo esta conduta vai destruíndo o casal.

A ejaculação precoce pode  ter efeitos muito negativos na função sexual, tanto no homem, como na parceira.

 A desistência do homem em buscar uma solução definitiva a este problema é uma conduta que deve se reverter. As soluções para a ejaculação precoce são simples de aplicar, sempre e quando não se recorra unicamente e exclusivamente a medicamentos sem receita médica, porque estes têm efeitos colaterais e os resultados obtidos são, em todo caso, transitórios.

Para nos dispor apresentar uma solução, primeiramente se faz necessário a revisão de alguns conceitos com o objetivo de ir construindo uma idéia que seja útil à compreensão do problema, para logo entender qual é a verdadeira solução.

Material e métodos de estudos

Seguindo a premissa de que o melhor método para resolver este problema é o científico e que os ejaculadores precoces têm um déficit perceptivo, temos considerado que os tratamentos mas eficazes até o presente são os que utilizam métodos de reeducação e reabilitação dos músculos que intervem no controle da ejaculação.

Estes procedimentos tiveram um éxito que rondam 95% dos casos; as terapias duram entre 1 e 3 meses, dependendo do grau de EP.

Estão incluídos neste estudo, pacientes que acudiram a consulta com EP, durante os anos 2006 e 2007, totalizando 356 pacientes entre 18 e 60 anos. Foram incluídos neste estudo todos os que poderiam padecer de EP, que logo seriam confirmados com o diagnóstico de EP. Todos pacientes heterossexuais com ou sem parceira estável, todos iniciados nas relações sexuais com um tempo de prática de seis meses a um ano no mínimo. Os pacientes foram avaliados quinzenalmente em função da subjetividade de suas respostas. Foi realizado um questionário antes, durante e logo depois do tratamento com o programa de exercícios

Qual é o momento indicado para ejacular?

O objetivo de uma relação sexual é que tanto o homem como a mulher obtenham prazer, conseguindo alcançar o orgasmo e que fiquem satisfeitos. Independentemente do tempo que o homem demore em ejacular, o objetivo é que o faça no momento em que a mulher alcance o orgasmo ou logo que se produza o mesmo.

Podemos denominar ejaculação precoce de distintas maneiras, a saber: ejaculação rápida, ejaculação prematura ou diretamente ejaculação precoce, e consiste na falta de controle da ejaculação durante o acto sexual. As causas podem ser orgânicas e psicológicas. Estas últimas são as mais comuns e são originadas na baixa percepção ou déficit de percepção das sensações sexuais com uma autoestima muito baixa. Estas, a sua vez, são geradas na puberdade ou na adolescência com uma aprendizagem equivocada da atividade sexual e ainda as causas orgânicas ou físicas que estão presentes nas alterações neurológicas, trastornos degenerativos, afecções urogenitais de uretra posterior e próstata, também devidas a remédios antidepressivos, alterações vasculares, desequilíbrios hormonais e todas aquelas afecções que alteram o mecanismo reflexo da ejaculação, mas fundamentalmente, dentro das causas orgânicas mais comuns, temos a hipersensibilidade da glande, que está presente na maioria dos ejaculadores precoces.

É possível controlar e ejaculação?

O controle ejaculatório pode ser aprendido no curso da vida sexual com um programa de exercícios totalmente natural, planificados e avaliados ao longo do tempo. Isto se implementa com uma metodologia regulada para conseguir a reeducação e o controle voluntário dos músculos encarregados da ejaculação. Isto se consegue trabalhando sobre estes músculos para ejacular no momento desejado.

Vivências da parceira do ejaculador precoce

A mulher que tem um parceiro que não sabe controlar sua EP se produz uma repercussão importante,  pelo que seu desejo sexual vai diminuindo. Isto é devido ao que em numerosas ocasiões ela está muito excitada e não alcança o clímax e o orgasmo ao cabo de muito tempo. Por isto, geralmente preferem evitar as relações sexuais para não ficar insatisfeita e evitar estes maus momentos durante e depois do encontro sexual. Então, a libido ou apetite sexual da mulher vai baixando e comença a por uma série de pretextos, como “estou com menstruada”, “estou cansada”, “dói minha cabeça”, “as crianças estão acordadas”, etc. Isto agrava o problema, pois aumenta a angústia e a ansiedade do homem para o próximo encontro sexual.

Outra situação muito comum é que ela se queixe de que o homem não a toca, que não haja suficientes preliminares nem carícias para se excitar e chegar ao clímax, em outras palavras, que o homem a penetra muito rapidamente. Isto se deve a que se o homem realiza preliminares ou carícias muito prolongadas, tem 99,99% de posibilidades de ejacular antes inclusive de iniciar a penetração. Por isso prefere penetrar rapidamente, pois crê que o contrário se agravaria o problema da ejaculação prematura ou antecipada com sua parceira.

Em alguns homens, este problema de  falta de controle da ejaculação transcende a esfera meramente sexual e os levam a serem tímidos, retraídos, inseguros de si mesmos, e os conduzem a não querer iniciar uma nova relação amorosa por não viver o acontecido com a parceira anterior. Isto diminui sua concentração para outras atividades distraindo seu pensamento neste problema, por não conhecer e enfrentar a solução. Esta tomada de conhecimento e de consciência chega muitas vezes por via da mulher, que lhe dá uma espécie de ultimato a seu parceiro para que consulte a um especialista para poder resolver este problema, que na realidade afeta a ambos.

Soluções mágicas que fazem perder tempo e geram frustração

A angústia e desesperação que sofre o homem com EP fazem que recorra muitas vezes a métodos e táticas fáceis, que não têm nenhum resultado e lhe fazem perder o tempo alimentando falsas expectativas. Nesse sentido buscam uma solução rápida, sem nenhum esforço, costumam navegar na Internet buscando o remédio mais rápido e fácil, que seja em creme ou em cápsulas, que seja aplicado de forma imediata e o cure instantaneamente, sobretudo do modo mais barato possível. É muito comum entre os homens que padecem de EP o uso de cremes ou géis - de venda livre em farmácias - que são anestésicos e se aplicam diretamente no pênis. Este tipo de produtos podem anestesiar a glande transitoriamente diminuindo sua excitabilidade. Sem dúvida, isto não só é produzido de forma temporária, senão que pode ter um efeito colateral como o anestesiamento da vagina da mulher, o que diminui portanto sua excitabilidade, o que gera atraso no orgasmo e portanto, insatisfação da mulher, o que complica ainda mais a situação do casal. Também é muito comum o uso de preservativos simples ou duplos em casais estáveis com o fim de controlar a ejaculação.

 Resumindo, os remédios caseiros fazem perder tempo e foi comprovado que não são eficientes para controlar a EP.

 A angústia que apresenta o homem com EP é comparável com a obsessão que tem alguns homens sobre o tamanho do pênis. Esta angústia se vê geralmente acrescentada pelos sucessivos fracassos dos distintos tratamentos realizados sem chegar a ter resultados satisfatórios.

Tendo em conta que a característica principal desta disfunção é a falta de controle sobre o reflexo ejaculatório, é lógico pensar que a correção desta dificuldade é conseguida única e exclusivamente - como está amplamente comprovado - com a aprendizagem e a reeducação, que consiste na realização de exercícios constantes para reabilitar os músculos que interferem no controle do reflexo ejaculatório..

 

Basados en estos conocimientos y según nuestra experiencia se diseñó una planificación en la realización de ejercicios a cumplimentar por los pacientes con la consiguiente evaluación de los resultados.

Resultados do estudo

Edades de los pacientes

Concurrencia de pacientes


Os pacientes que participaram da consulta apresentaram idades que oscilavam entre
18 a 60 anos, destacando que a maioria se encontrava entre os 25 a 30 anos.


Neste gráfico detalhando os pacientes que compareceram pela primeira vez para a nossa consulta e aqueles que passaram a consultar-se com outros terapeutas, sem sucesso.

Estado civil dos pacientes


No gráfico seguinte estão detalhados o estado dos pacientes com respeito a sua companheira sexual e as porcentagens dos consultantes.



A maioria dos pacientes que consultaram por este padecimento não tinham patologia agregada no momento da consulta..


Resultados negativos

Duração de tratamentos até desaparecer a doença


Aqui estão descritos no gráfico os resultados insatisfatórios de tratamentos recebidos por pacientes con EP, incluídos as terapias com exercícios no gráfico se evidencia o menor índice de fracassos com os tratamentos de exercícios posicionais e de reeducação muscular no tratamento da EP.


Neste gráfico estão descritos a duração do tempo que transcorreu para finalizar satisfatoriamente os tratamentos.


Conclusões
  • No estudo foi considerado todo tipo de pacientes que participaram da consulta com este padecimento durante 2 anos, 2006 e 2007
  • Foi  posto de manifesto no desenvolvimento das consultas que a maioria das causas deste problema são psicológicas e de aprendizagem,  e o predomínio dos síntomas é a ansiedade.
  • O tratamento da EP com exercícios musculares de reabilitação e reeducação dos músculos PC e os posturais foram evidenciados por ser o mais eficaz no estudo realizado
  • Também foi posto de manifesto nas consultas realizadas, que os tratamentos anteriores recebidos não cumpriram satisfatoriamente as expectativas dos pacientes
  • Que este tipo de disfunção está tomando maior magnitude na atualidade, com o conhecimento de que o ato sexual començou a ser considerado como uma atividade para o prazer do casalDr. Pedro J. Salguero

Buenos Aires, Argentina, março de 2008
Trabalho estudo e recopilação de
Dr. Pedro J. Salgueiro
Especialista consultor em urologia, andrologia e sexologia
Mestre em sexologia e educação sexual
Terapeuta sexual
Diplomado em sexologia clínica

Conheça mais sobre o programa Quero me dar a alta
 

HOME - POR QUE FUNCIONA? - ESTUDO - COMUNIDADE MÉDICA
DEPOIMENTOS DE CLIENTES - FAQ's - COMEÇAR AGORA - CONTACTAR - SEGURIDAD - ACESSO MEMBROS

Ejaculacaoprecoce.eu

O copyright deste programa é propiedade de Ejaculação Precoce.eu e está unicamente concebido para seu uso privado doméstico. Fica totalmente proibido copiar, difundir ou transmitir parcial ou totalmente este programa ou qualquer parte do mesmo.
Todos os direitos reservados. Termos legais.